O CORCUNDA DE NOTRE DAME

A peça é contada pelo artista cigano Clopin. Tudo começa em Paris, em 1482. Quasímodo é um homem marginalizado, feio e corcunda, que vive trancado no campanário da Catedral, tocando os sinos na companhia de apenas três gárgulas – Victor, Hugo, e Laverne. Somente Quasímodo sabe que as três gárgulas possuem vida própria, pois só revelam isso na presença do mesmo ou quando sozinhos, permanecendo como estátuas de pedra nas demais situações. Instigado por eles, Quasímodo aventura-se ao aproveitar-se da ausência de Frollo e sai da catedral para participar no “Festival dos Tolos”, a maior festa do ano realizada em frente à catedral francesa, apesar de Frollo o proibír de sair, dizendo que é para o seu próprio bem. Durante a festa, num concurso para designar a cara mais feia de Paris, Quasímodo vence, e é proclamado rei do festival. Frollo descobre a desobediência e manda prender Quasímodo. Ele é então protegido por Esmeralda, uma bela cigana que dança para ganhar dinheiro. Ao ajudar Quasímodo, a moça desperta a ira de Frollo, que manda prendê-la. Ela derrota os guardas e foge, escondendo-se sob a proteção da Catedral, onde reencontra Quasímodo, que em forma de agradecimento, a ajuda a escapar da Catedral. Enquanto isso, Febus, um capitão da guarda a serviço de Frollo, deve conduzir os seus soldados para capturar Esmeralda e trazê-la para Frollo, mas o capitão sente-se atraído pela cigana.

Quando o juiz descobre a sua fuga, procura-a por toda a cidade. Ao perceber as verdadeiras intenções de Frollo, Febus recusa atender às ordens do  juiz e decide salvar os ciganos ao invés de matá-los. Quasímodo, depois de se aperceber de que Esmeralda está em perigo, vai ao seu encontro ao anoitecer, ao esconderijo dos ciganos, a “Corte dos Milagres”, juntamente com Febus. Mas não sabia que estava a ser vigiado por Frollo, que finalmente descobriu o esconderijo dos ciganos, prendendo toda a gente.

Durante a madrugada, Esmeralda é condenada à fogueira pelo crime de feitiçaria. Quasímodo é detido no alto da Catedral, sob correntes. Mas quando Esmeralda está prestes a ser queimada, Quasímodo, num ato de raiva, liberta-se das correntes, e desce do ponto mais alto da Catedral até à praça, salvando Esmeralda, e trazendo-a de volta à Catedral. Victor, Hugo e Laverne ajudam Quasimodo, atacando os guardas de Frollo do cima da Catedral.

Frollo acaba por morrer, ao caír num lago para manter os guardas afastados da igreja.

O dia amanhece e todos percebem que estão finalmente a salvo e livres das atrocidades de Frollo. Quasímodo, mesmo apaixonado por Esmeralda, compreende o amor entre a cigana e Febus. Esmeralda, então, encoraja Quasímodo a sair da Catedral, e ao sair, observado pela imensa multidão, é acariciado por uma criança que depois o abraça, sendo aclamado como herói pela população.